PIAUÍ É DESTAQUE NO JACAREÍ BASQUETEBOL

 

 

Jogador do Jacareí Basquetebol , o atleta  Cássio Ferreira  leal, mais conhecido como Piauí (Core Sport), natural de Parnaguá-PI, tem sido reconhecido pela sua performance e raça. Morador da cidade de São José do Rio preto, atualmente defendendo as cores do Jacareí Basquetebol o Ala já passou por várias equipes, inclusive a seleção Matagrossense, cadete e a seleção brasileira juvenil. Com os seus 1,95 mt o jogador de muito carisma já conquistou a torcida local. Pelo Jacareí foi campeão dos jogos regionais (2014), Campeão Paulista Série A2 (2014), Campeão Paulista Série A1 especial (2015) e Campeão da Super Copa Brasil (2015). Atualmente junto com a equipe disputa a elite do basquetebol no campeonato Paulista, juntamente com as melhores equipes do país.

 

 

 

 


 
JEAN AZEVEDO FATURA O HEXA NAS MOTOS
DO RALLY DOS SERTÕES

 

O piloto Jean Azevedo, da Equipe Honda Mobil, entrou para a história do Rally dos Sertões ao faturar neste sábado, em Foz do Iguaçu (PR), o hexacampeonato das motos na principal competição off-road do país. Ele foi o campeão da categoria duas rodas de 2015 depois de desbravar de forma segura e rápida o inédito percurso de 2.855,79 quilômetros, sendo 1.508,60 de trechos cronometrados, que passou por oito cidades, em quatro estados (GO, MS, SP e PR), e que contou com sete dias de duração. A  conquista coloca Jean como terceiro participante, em 23 anos de prova, a atingir seis títulos na competição. O primeiro foi Edu Piano, com sete, sendo um nos carros e seis nos caminhões, e o segundo Davi Fonseca, com seis nos caminhões.- Estou muito contente com esse título. Quando voltei para as motos, após uma temporada nos carros, tinha esse objetivo. Nos anos anteriores, o campeonato valia pelo mundial, então havia muitos pilotos estrangeiros com equipamentos melhores, mas sempre fui o melhor brasileiro. Mas nesse ano, em condições iguais, finalmente consegui esse hexa que tanto eu queria - destaca Jean Azevedo, que venceu o Rally dos Sertões nos anos de 1995, 2000, 2002, 2004, 2005 e 2015. Para chegar ao hexa, o paulista de São José dos Campos precisou superar seu conterrâneo Ramon Sacilotti, que surgiu como principal rival durante as especiais. O piloto da Sacilotti Rally até chegou a ameaçar a liderança do experiente competidor de 41 anos, ganhando a terceira e quarta etapas. Porém, Jean retomou na parte final o ritmo de prova e, com o tempo total de 15h51min38s, 12min31s a mais que o concorrente, alcançou o título na geral e na Super Production. A vitória neste sábado ficou com o francês Adrien Metge, da Equipe Honda Mobil. O primeiro lugar na especial de encerramento rendeu ao estrangeiro o título da categoria Production Aberta. Já a segunda posição deste sábado acabou com Tiago Fantozzi, da X Rally Team, seguido de Guilherme Cascaes, da Yamaha Grupo Geração Rally Team, e de Tunico Maciel, da Equipe Honda Mobil. Já Ramon Sacilotti, que foi penalizado em seis minutos na etapa por conta de excesso de velocidade em zona de radar, acabou o dia em sexto, uma posição atrás de Jean, que administrou a vantagem. Assim, o piloto que utiliza uma moto Kawasaki ficou com o vice-campeonato. 

 


 
COPA EVANGÉLICA RESGATA VIDAS ATRAVÉS DO FUTEBOL


 

É possível evangelizar em um campeonato de futebol? Para os organizadores da Copa de Futebol do Amazonas isso não é apenas possível, como tem gerado muitos resultados em Manaus. Este é o segundo ano do campeonato que junta jogadores evangélicos e não-evangélicos
O campeonato de 2015 envolveu 1,6 mil atletas, divididos em 25 times que se enfrentaram de uma forma amigável e longe do clima de violência comum no futebol.
“Aqui na nossa cidade, infelizmente a gente vê uma violência muito grande nos campeonatos de bairros. Já a nossa Copa serve para reintegrar vidas à sociedade. São testemunhos de pessoas que cuidavam de boca de fumo, andavam com armas e hoje conhecem a palavra de Deus através do futebol”, disse o presidente da Copa Evangélica, Luiz Mendes.
Diversas denominações participaram das competições que aconteciam sempre às 21h para não impedir os participantes já evangélicos de participarem dos cultos de suas igrejas.
Todo time tinha que ter evangélicos e apenas quatro jogadores poderiam ser de outras religiões ou não serem religiosos. “O melhor de tudo é que esses quatro sempre terminam o campeonato aceitando Jesus, com suas vidas totalmente transformadas”, afirmou Mendes ao Portal da Amazônia.
“Tem um time do Aleixo onde os quatro não-evangélicos eram braço direito do ‘cabo’ que mandava no negócio [tráfico]. Em um dos dias [de jogos], só dois deles foram pro jogo. Os outros dois não resistiram à tentação e acabaram mortos naquela madrugada”, contou o presidente do campeonato.
Um filho de um pastor também foi alcançado através desse evento. “Esse pastor até hoje agradece porque ele não conseguia falar do amor de Deus pro filho dele. Aí ele montou o time e isso fez com que o filho dele largasse a pistola e se reconciliasse com a família”.
O principal trabalho dos missionários da bola é a evangelização, mas isso não impede que os jogadores se esforcem para ganhar a Copa Evangélica que está em seu segundo ano. O jogo da semifinal aconteceu neste domingo (16) estádio Carlos Zamith, no Coroado. (Fonte: Gospel Prime).